Trajetória

Quando a NASA lança um foguete para a Lua, muitas pessoas não percebem que:

  1. a Terra está em movimento
  2. a Lua está em movimento

Portanto, eles têm que acertar um alvo em movimento a partir de uma plataforma em movimento. Nada fácil! A expressão “this is not rocket science” não foi criada em vão.

Eles não miram onde a Lua está, isso é irrelevante. Eles miram para onde a lua vai estar quando o foguete estiver para pousar nela.

Ao receber um lançamento, o jogador de futebol corre para onde a bola vai, e não para onde ela está.

Muitos vestibulandos querem saber qual é a tendência do mercado antes de prestar uma faculdade. As profissões mais “quentes”. A verdade é que ninguém sabe como estará o mercado de trabalho daqui quatro anos, quando você estiver quase formado. Tenha cautela com os que dizem saber. Ou com qualquer pessoa que pregue ter a resposta quando o mundo todo ainda nem está certo das perguntas.

No seu negócio, você pode reagir ao que os concorrentes estão fazendo ou pode pensar no futuro do seu negócio proativamente, liderando e definindo o que será ou não tendência no seu meio. A questão sendo “O que você pode fazer agora que outros negócios ainda não estão fazendo?” ao invés de “Como posso copiar meu concorrente?”

Ver o passado é fácil. Abra qualquer site de notícias, assista TV, leia revistas e você saberá tudo o que é considerado importante e “tendência” no momento. Entretanto, entender para onde as coisas caminhame, requer um pouco mais de percepção, observação e pensamento crítico. E não dá pra fazer isso e postar no Facebook ao mesmo tempo.

Muita gente ganha rios de dinheiro copiando tendências, não há nada errado nisso. Apenas decida se você quer inventar o próximo iPhone ou manufaturar o HiPhone do seu setor.

A falácia da felicidade que vem de dentro

Não é novidade que nosso estado interno se reflete no exterior.
Quando você está triste, provavelmente anda cabisbaixo e calado, e raramente sorri.

A verdade é que o caminho contrário é igualmente verdadeiro e muito pouco utilizado.

Quem sorri mais (sim, mesmo sorriso forçado), se sente mais feliz.
Por que não utilizar truques assim para melhorar seu dia?

Se tivesse

Truques para o curto prazo:

  • Arrumar a cama (senso de realização numa tarefa de um minuto)
  • Sorrir (ativar os músculos do sorriso mandam um sinal ao cérebro de que você está mais feliz)
  • Ver o sol (lugares iluminados e ensolarados aumentam a felicidade)
  • Vestir cores claras e vibrantes (cores vibrantes ou branco melhoram nosso humor)
  • Plantas (não serve planta morrendo ou seca, jogue estas fora)
  • Olhar para o horizonte (relaxa os músculos ciliares, que controlam o foco do olho)
  • Fechar os olhos e respirar fundo (aumentar a oxigenação no cérebro alivia o stress)
  • Ouvir uma música que te deixe pra cima (evite músicas negativas ao máximo, mesmo que goste bastante delas)
  • Aumentar as luzes da sua casa (lugares pouco iluminados trazem sensação de decadência)
  • Arrume as coisas no momento em que quebrarem, ou as jogue fora (paredes descascadas, plantas mortas, aparelhos quebrados e juntando poeira, você acha que isso não afeta nem um pouco o seu bem estar?)

Dicas para aumentar a felicidade no longo prazo:

  • Coma bem
  • Exercite-se
  • Durma bem (meu sonho é abolir o despertador)
  • Tenha várias fonte de contentamento. Não seja aquele cara cuja vida acaba quando termina um relacionamento, ou se algo no trabalho vai muito mal. Tenha opções para se sentir bem, faça um esporte que goste, tenha projetos paralelos
  • Cultive hobbies (pessoas sem hobbies tendem a se focar em minúcias irrelevantes sobre qualquer que seja seu problema do momento. faça o que puder para resolvê-los, mas não pense em excesso sobre eles)

É claro que a questão da felicidade é muito mais complexa e profunda do que este breve e superficial post. Estas dicas não são a solução, apenas truques para lidar com um dia ruim: Happiness boosters. Mas não chegamos ao pré-sal sem antes descobrirmos o subsolo.

Porque não somos racionais

A maioria de nós, adultos, sabemos como deveríamos nos comportar. Não deveríamos abusar do álcool, e muito menos dirigir depois disso, deveríamos comer bem, e nos exercitar, e ler, e acordar talvez mais cedo, ou ir dormir mais cedo, ou acordar mais tarde, e ajudar em alguma causa social importante na qual acreditamos, gastar menos do que ganhamos e muito mais. Mas a maioria de nós, adultos, não faz nada disso.

Por que esta discrepância tão grande entre o que fazemos e o que sabemos que seria correto fazer? Porque não somos racionais.

A psicologia comportamental trata de estudar por que os humanos se comportam como se comportam, e há alguns estudos interessantíssimos com relação a isso.

Alguns exemplos:

  • Doação de órgãos é opcional em todos os países civilizados. Mas em alguns países, para ser doador, você precisa se manifestar. Em outros, você deve se manifestar se não quiser ser doador. Esta simples diferença é capaz de modificar a porcentagem de doação de órgãos radicalmente.
  • No Brasil, pagar o INSS é obrigatório. Nos EUA, você tem que se inscrever no seu plano de aposentadoria chamado 401(k), onde você deposita uma quantia, e o empregador faz um depósito equivalente, ou seja, você dobra seu dinheiro, é dinheiro de graça. Mesmo assim, por precisar se inscrever, muita gente não o faz.

Detalhes tão pequenos quanto não ter uma caneta na hora ter que ir até o correio para enviar um envelope podem fazer algumas pessoas perderem centenas de dólares. Pessoas transam sem camisinha porque não possuem nenhuma em casa. Se a menina andasse sempre com uma na bolsa, esse problema acabaria, mas o que vão pensar dela?

O importante deste tipo de descoberta é que se sabemos que não fazemos exatamente tudo o que achamos certo fazer, o correto seria nos preparar para automatizar ao máximo nossas boas ações.

Colocar o chocolate do outro lado da casa, enquanto saladas e frutas ficam sempre à mão, pode ser uma ótima forma de comer melhor. Planejar e ter sempre em casa coisas saudáveis, evita que pedidos de pizza de madrugada por não ter nada na geladeira. Fazer um agendamento automático no seu internet banking para que 10% do seu salário vá imediatamente para a poupança no dia em que ele cai é uma forma de evitar não ter reservas, porque se esperar o final do mês, já era.

Se você gostou do assunto, recomendo assistir a esta palestra de 17 minutos de Dan Ariely, autor de Previsivelmente Irracional, sobre o tema. Ligue a legenda em português e divirta-se. Outra recomendação é este post (em inglês) completíssimo de Ramit Sethi, sobre psicologia comportamental aplicada às finanças pessoais.

de Ramit Sethi

EPICENTRO – Idéias que valem a pena espalhar (1ª edição)

No dia 19 de março (quinta passada) minha agenda estava toda reservada para um evento, o EPICENTRO. O evento é baseado nos modelos do TED – usando, inclusive, o mesmo slogan emprestado. O evento americano traz pessoas brilhantes de diferentes áreas para fazer a palestra da vida delas, o tempo limite de 18 minutos para cada palestra dinamiza o evento.

O EPICENTRO foi concebido e executado por Ricardo Jordão (criador do BizRevolution), e ele trouxe 16 palestrantes interessantes com idéias que valem a pena espalhar. Todas elas estão disponíveis online, ainda não é a filmagem oficial, mas foram muito bem filmadas pelo Hugo do agaelebe. Abaixo, minha avaliação e comentários em cada uma delas.

14:30 Recepção
A recepção teve problemas. Ao que parece, o evento acabou tendo uma presença massiva, aparentemente não esperada. A capacidade do prédio e da sala de conferência claramente não suportavam tanta gente. Problemas técnicos chegavam a irritar, e quem queria muito ver as palestras tinha que ficar em pé ou sentar no chão, se desse sorte de entrar na salinha.

De qualquer forma, o que valem são as palestras e as idéias, o conforto fica em segundo plano. E por ser o primeiro evento, a falha é totalmente perdoável. Com certeza, Rick Jordan irá corrigir este aspecto para a próxima edição.

15:20 Abertura: Ricardo Jordão, Co-fundador e Editor do Epicentro
Nesta abertura, eu não pude acompanhar muito bem, mas ele explicou a idéia do evento, e a importância dele, sua visão de como ele será no futuro e deu uma prévia do que teríamos pela frente.

15:30 Luciano Pires, Anarquista Corporativo (site / livro: O Meu Everest / livro: Brasileiro Pocotó)
Tema da palestra: Gênios, Medíocres e Idiotas
Excelente! O Epicentro começou bem. Luciano é um ótimo apresentador. Ele dividiu as pessoas do mundo entre gênios, medíocres e idiotas. Sempre existirão todos estes tipos de pessoa, mas ele sugeriu formas para a mudança de perfil do brasileiro. A maioria está entre medíocre e idiota, ele propõe que façamos as mudanças necessárias para revertermos a maioria. Continuar a ler

Pesquisa científica na área de administração?

Terminei hoje a primeira parte do meu TGI (Trabalho de Graduação Interdisciplinar). TGI é como chamam o TCC lá no Mackenzie. Como você deve saber, curso Administração de Empresas. O título do trabalho é VALOR PERCEBIDO PELO CLIENTE NO USO DA INTERNET COMO CANAL INOVADOR DE DISTRIBUIÇÃO DE SOFTWARE NO MERCADO B2B, e você pode lê-lo na íntegra clicando no título.

Fazer este trabalho em um grupo de 5 pessoas faz você aprender bastante. Abaixo as colocações que me surgem quanto ao trabalho:

  • Trabalho em equipe é importantíssimo. No começo da faculdade eu pensava em fazer um trabalho de conclusão de curso sozinho, poder ter maior liberdade na escolha do tema de escolha e fazer sobre realmente algo interessante e único para mim. Entretanto, não é bem assim. A maior parte dele é chata, envolve leitura e pesquisa de muita coisa chata, e definições de coisas básicas e óbvias. Fazer todo esse trabalho sozinho não teria sido nada legal. Trabalhamos juntos praticamente desde o primeiro semestre (estamos no sétimo), mesmo assim e talvez ainda mais por isso, rolam brigas, discussões, frustrações. A regra básica é assumir responsabilidade e cumprir. Isso mostra integridade e respeito ao resto do grupo. Resumindo: quando um dá mancada, todo mundo se ferra.
  • Pesquisar e fazer são coisas bem diferentes. Nesta primeira parte do trabalho, nós revisamos muito bibliografias de conceitos. Para falar de valor percebido pelo cliente na distribuição virtual de software no mercado B2B é preciso primeiro entender o conceito do valor, e antes disso o conceito de marketing, o conceito de mercado B2B, o conceito de internet, de distribuição, ou seja, temos que definir praticamente tudo, e isso é um pouco chato pois nos vemos escrevendo e pesquisando coisas que não são exatamente o que pensávamos que iríamos fazer. Esta é a referência para realizarmos a pesquisa no próximo semestre. Como empreendedor, eu fico MUITO entediado com estas pesquisas, essa coisa de não poder se expressar (você só pode colocar no trabalho coisas que outros autores falaram, não é permitido tirar conclusões ou colocar sua visão). Eu venho de um mundo prático onde as suas idéias e suas ações são o que mais importam, sou do mundo do Bota pra Fazer, e não do mundo que o que escreveu algum intelectual do século passado, todo mundo aceitou como verdade.
  • A importância da teoria. Com o passar dos anos no trabalho, eu percebo que muito do que eu aprendi na faculdade e não me interessava muito passou a me interessar mais, pois eu vejo utilidade prática. Comecei a revisar matérias de professores que eu nem prestava muita atenção. Há muita coisa importante na faculdade, que a gente só percebe depois que ela passou. E não tem como ser de outra forma mesmo. Ou seja, teorias voltadas para a prática são o melhor!
  • Todo projeto precisa seguir um cronograma. Se não tivesse uma data para terminar, nunca terminaria este projeto, porque ele seria sempre postergado, e também porque sempre iríamos achar coisas para fazer. A Lei de Parkinson é aplicável neste caso.
  • Não falhe em horas críticas. Se você fizer tudo certo sempre, mas na hora crítica, ou seja, na hora que importa mesmo, na hora do vamos ver você dá alguma mancada ou não cumpre o que deveria, esta é a imagem que terão de você, alguém que não se pode confiar mais. A confiança é amiga da constância.
  • Escrever muito é enrolar. A maioria das coisas podem ser explicadas de forma simples, quando você precisa de muitas páginas para explicar sua idéias, é possível que você apenas a complicou mais ainda. Nietzsche já dizia, em O Viajante e Sua Sombra, que tivesse Platão escrito menos, teria ele feito um favor aos seus leitores, sendo assim mais claro. Mark Twain, uma vez perguntado por que seu livro era tão longo, respondeu “Porque não tive tempo de encurtá-lo ainda mais”. Simplificar é um trabalho que leva tempo e mais pensamento do que deixar complicado. Vê-se pelo tamanho deste post que eu tenho muito a aprender.

Portanto paro por aqui o meu brainstorm sobre o trabalho acadêmico e suas lições e suas deficiências. Acredito eu que um plano de negócios (como o nosso trabalho da Salute no segundo semestre) seria muito mais útil aos alunos no caso da área administrativa, e muito mais divertido de fazer. Poucas pessoas entram num curso de administração porque querem ser cientistas, mas quase todos entram querendo ser executivos e/ou empreendedores. Cabe à universidade pensar o que seria mais apropriado neste caso.

okbye!

Over the rainbow – e por que não enxergamos os ultravioletas e infra-vermelhos

Ultra-violeta? Infra-vermelho? É, você ouve isso o tempo todo, mas aposto que poucas vezes parou pra pensar no que significam. Porque ULTRA-Violeta? Será que é um violeta mais brilhante/forte/poderoso/sei lá? Tentarei explicar de forma bem sucinta e simples de entender, mas ao mesmo tempo cientificamente correta.

Começando do princípio: Qual a definição de luz? Bom, uma delas é:

Luz é uma radiação de ondas eletromagnéticos emitidas dentro de uma freqüência que a visão humana consegue enxergar.

Portanto temos uma onda eletromagnética, e ela vibra em determinadas freqüências. Cada cor é, na verdade, a onda eletromagnética vibrando em uma determinada freqüência. Se cada cor vibra numa freqüência diferente, vamos ver quais elas são: as cores do Arco-Íris!

as cores do arco-iris

VLAVLAAV

Temos, em ordem crescente: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil (ou indigo) e violeta. Não é a toa que estão nesta ordem! O arco-íris representa muito bem o espectro de cores que o olho humano consegue enxergar. A definição de luz é baseada na variação da menor freqüência (vermelho) até a maior (violeta). Todas as ondas eletromagnéticas que vibrem dentro desta variação serão captadas pelo olho humano, são estas as cores do arco-íris.

Mas e as freqüências que o olho não consegue captar?
Certamente o universo abrange muito mais do que chega a nossos olhos, você certamente não consegue ver as ondas que o seu controle remoto emite até sua televisão, e também não vê os famigerados raios UV atravessarem a camada furada de ozônio e chegarem até sua pele, te bronzeando. E você não consegue enxergar justamente por isso. Os raios eletromagnéticos com freqüências menores que as da cor vermelha são chamados de raios infra-vermelhos. Já os raios de freqüência maior que a do violeta são chamados ultra-violetas. Estão fora do alcance da visão HUMANA, portanto não são considerados luz.

Embora seres humanos enxerguem apenas estas cores, alguns animais conseguem captar e identificar cores fora deste espectro, é o caso de insetos e aves. As aves especificamente possuem a melhor visão do planeta. E ornitólogos dizem que por enxergar raios ultra-violetas, o mundo visto por elas é incrivelmente mais colorido que o nosso, fora de nossa capacidade de imaginação.

Mas não vá você, pobre homo sapiens com esse seu cérebro desenvolvido e polegar opositor, ficar com inveja e sair por aí estilingando pombas. Ser humano ainda compensa, de milhares de outras formas. Você vai ver.

Update: o Scienceblogs postou esta matéria incrível sobre o tema.