Watchmen – a graphic novel mais aclamada de todos os tempos

Recentemente, tive a grande oportunidade e prazer de ler Watchmen, uma graphic novel de 12 episódios, escrita por Alan Moore (Do Inferno, A Liga Extraordinária, Constantine, V de Vingança, entre outros) e desenhada por David Gibbons.

Watchmen tem uma história densa, multifacetada e profunda. Foi publicada em capítulos no final dos anos 1980, e é nesta época que a história acontece, época em que a Guerra Fria beirava a Guerra Nuclear. Neste universo, os heróis fantasiados/mascarados foram criminalizados, não é mais permitido ser um vigilante, alguns deles mudaram de vida, outros trabalham escondidos, e outros até viraram agentes do governo.

Bom, abaixo os pontos que mais me chamaram a atenção:

  • Ousadia. Watchmen toca em temas pouco explorados sem medo de pegar pesado. Não existe hipocrisia. Tudo é tratado de forma aberta.
  • Psicologia. O leitor consegue entrar dentro da psiqué do personagem e entender como ele pensa, a forma como vê o mundo. Não só com um, mas com todos eles. O que cada um valoriza, e quais os processos mentais que eles utilizam para enxergar a realidade. É muito interessante entender a motivação de cada um para a resolução dos problemas, e para sobreviver.
  • Tensão. Você realmente não sabe o que vai acontecer direito atéo útlimo capítulo, e quando pensa que tudo já terminou e está resolvido, você se surpreende com o último quadrinho.
  • Design. A palheta de cor de Watchmen não é igual a de outros gibis. São usadas cores secundárias, tons menos vivos, mais pastéis, que fazem com que tenham seu tom diferenciado com relação às demais. Cada personagem é incrivelmente único num mundo de super-heróis, e mostram isso através da forma de se apresentarem. Watchmen é conhecido pelos fãs por dois símbolos, principalmente: o smile com uma gota de sangue, e o relógio do “juízo final” (doomsday clock), e estes elementos aparecem durante a trama de formas diferentes e até um pouco escondidas, sempre com um sentido oculto.
  • Crítica. Watchmen, como a maioria (senão todos) dos quadrinhos do Alan Moore, faz uma crítica severa na forma de agir da sociedade como um todo, inclusive criticando tribos específicas, ninguém se salva.
  • Complexidade. Como eu citei no item “design”, Watchmen realmente presta atenção aos detalhes, e é incrível o nível de complexidade desta obra. Ao final de cada capítulo, estão jornais e relatórios da época, como se fossem fatos verídicos, material secundário que dá apoio à história principal. Dentro do gibi, há um outro gibi lido pelo rapaz que fica ouvindo o dono da banca, ou seja, Alan Moore consegue contar uma outra história dentro da história que já é complexa o bastante, e sempre relacionando as duas. Realmente incrível.
  • Não há certo ou errado. Não se sabe quem está certo ou errado por aqui. E quem acha que sabe, acaba tomando um tapa na cara no último capítulo. Cada um tem suas motivações pessoais para fazer o que faz, e isso acaba criando os conflitos existentes.

O Filme
Em março de 2009 (ou em menos de um mês) será lançado mundialmente Watchmen, o filme. Está sendo dirigido pelo ótimo Zack Snyder (que dirigiu 300, outra adaptação dos quadrinhos, lindamente) e que ama Watchmen. É bom saber que nos dias de hoje, os diretores que estão trazendo franquias dos quadrinhos para o cinema são competentes e apaixonados pelo original ao mesmo tempo. Snyder está trazendo para as telas toda a essência de Watchmen do papel, e tenho certeza de que temos uma obra-prima só esperando para ser lançada. Abaixo, os dois trailers que temos até agora.

Trailer 1
Vodpod videos no longer available.
Trailer 2

Vodpod videos no longer available.

Se você não conhece os quadrinhos, conheça. Vale muito à pena. Caso não for comprar os quadrinhos, veja este filme no cinema. Se você gosta de uma história profunda, inteligente, bem construída, emocionante, filosófica, e de tirar o fôlego em algumas horas, não vai se arrepender!

Agradeço ao Rod por me apresentar à série (como sempre, quando o assunto é quadrinhos). E talvez você deva checar o site oficial, o site do jornal do gibi, e a comparação entre o filme e os quadrinhos do Sedentário&Hiperativo. Ah! E já está à venda no Brasil a versão Watchmen: Edição Definitiva. Ou você pode baixar de formas menos oficiais, lendo os comentários.

6 pensamentos sobre “Watchmen – a graphic novel mais aclamada de todos os tempos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s